17 de julho de 2016

quis ser bailarina e quis ser pintora. o primeiro projeto foi gorado por ter nascido numa família com poucos recursos financeiros e o segundo não sei bem por que motivo, pois não me deixaram ir para a escola onde podia ingressar no curso com as disciplinas que me dariam acesso ao ensino superior artístico. depois vieram outros projetos e todos eles foram igualmente gorados, alguns por minha própria iniciativa. tive muitas profissões. desde os tempos em que apanhava fruta no verão, passando pelos restaurantes e bares, à produção, comunicação e modelo em aulas de desenho. aquilo que, ao longo da vida, observo, sempre fiz, foi escrever, e isso, bem ou mal, fi-lo realmente sempre.